VOCÊ É HOMEM COM “H” MAIÚSCULO OU MINÚSCULO?

0

Vejam o depoimento deste esposo indignado:

“Interessante, minha esposa pediu para que eu lesse o seu texto “Ele não me ajuda em nada!” Quando chego em casa após o trabalho, dou banho na criança, senão, tento ajudar com a comida. Lavo a louça, estendo as roupas, pego coisas no alto… Além de ter que trabalhar em torno de uma a duas horas no computador. Hoje, antes de pedir para eu ler, solicitei para ela deixar a louça e ela questionou quando eu iria lavar. Respondi que após verificar alguns e-mails urgentes. Ela criticou que quando eu lavo a louça muito tarde atrapalho o seu sono e ela não consegue dormir novamente. Acho que quando o homem ajuda é para ter uma parceira também, tenho que servir sem pensar em ser servido, mas tenho que ouvir que não ajudo. Quando questiono em que não ajudo ouço: em nada!”


Vou direto ao ponto. Os serviços de casa não somem por mágica, uma hora ou outra alguém terá que assumi-los. Se os dois trabalham fora e possuem uma empregada doméstica, fica mais fácil de resolver, mas esta não é a realidade da maioria das famílias. Vamos então pensar em algumas possibilidades.

Existem aquelas mamães que, assim como eu, trabalham em casa. Neste caso, o ideal é que todas as tarefas sejam feitas no decorrer do dia, e somente o necessário fique para quando o marido chegar. Existem também aquelas famílias em que marido e mulher trabalham fora. O mais lógico nesta situação, seria a divisão de tarefas quando os dois retornam do serviço. 

Aqui em casa, por exemplo, minhas tarefas são: arrumar as camas, guardar a bagunça, lavar a louça (pelo menos 3 vezes ao dia), preparar as refeições, lavar e estender a roupa, varrer, tirar o pó dos móveis, passar pano no chão, limpar o banheiro, esvaziar os lixos, tirar a roupa do varal e dobrar, levar meu caçula no banheiro várias vezes ao dia, preparar suquinhos e frutinhas, levá-los ao parque na parte da tarde, ajudá-los com as tarefas de casa, preparar lancheiras, mochilas, uniformes… Dentre muitas outras coisas. Além disso, trabalho em casa no período da manhã, enquanto as crianças estão na escola. Tenho uma auxiliar que me ajuda com as roupas e faxina pesada a cada 15 dias, o que me alivia bastante! Fico imaginando como deve ser cansativo para as esposas que não possuem esta opção.

Quando meu esposo chega do serviço estou esgotada (e ele também), mas não podemos esquecer que somos uma equipe, uma equipe que luta diariamente pela união e bem estar da nossa família. Não podemos agir como adversários. Nós nos amamos e desejamos o bem um do outro, por isso, mesmo cansados e sabendo que ainda existem tarefas a serem feitas, dividimos os afazeres. Dessa forma, nenhum dos dois se sente sobrecarregado e sobra mais tempo para estarmos juntos. Isso não faz sentido pra você? Pois pra mim faz! 

Meu marido chega por volta das 18h30. Como fico em casa o dia todo, as refeições estão sob a minha responsabilidade, além do que, ele não possui muitas habilidades culinárias (risos). Então, assim que chega, fica com as crianças para que eu consiga terminar o jantar tranquilamente. Nada mais justo, afinal, como passou o dia longe, precisa aproveitar a oportunidade de estar com eles. Depois do jantar, o papai continua cuidando dos pequenos (banho, histórias, brincadeiras…) e eu continuo com a cozinha. Foi uma opção que fizemos, pois passo mais de sete horas por dia com as crianças, e ele, apenas três. Quando estou doente ou muito cansada, invertemos os papéis. E acreditem, ele não ficou menos homem por causa disso. Muito pelo contrário! Quando um esposo se mostra solidário, comprometido e preocupado com o bem estar da família, faz com que sua esposa e filhos o admirem ainda mais.

Bom, voltando aos afazeres domésticos, acho interessante esclarecer o que significa “cuidar da cozinha”: tirar os restos de comida dos pratos, colocar em potinhos o que sobrou das panelas, passar um pano na mesa, organizar a louça na pia, lavar e enxugar (para alguns), passar o rodinho para tirar o excesso de água, jogar fora o lixinho que ficou no ralo, limpar o fogão, varrer e passar pano no chão (dependendo da sujeira), jogar o lixo fora e preparar a lancheira e o leite das crianças. Portanto, caso alguma vez já tenha dito para sua esposa: “Tá cansada só porque lavou uma loucinha?”, é melhor pensar duas vezes antes repetir esta ofensa!

Continuando, depois que termino a cozinha, se ainda tiver tempo, brincamos juntos, caso contrário, iniciam-se os preparativos para o sono. Essa parte também fica com o meu esposo: arrumar a bagunça que fizeram, dar o leite, escovar os dentes, colocar o pijama, arrumar as camas, contar historinhas, fazer oração e colocá-los para dormir. Enquanto isso, vou arrumando os leites para o dia seguinte, escrevendo nas agendas, preparando as mochilas e uniformes. Quem terminar primeiro entra no chuveiro (risos). Depois do banho, por volta das 22h00, estamos liberados para fazer apenas o que nos interessa: ler, assistir algum programa, conversar, namorar, etc e etc.

Fico imaginando se meu esposo chegasse do serviço, colocasse a bunda no sofá e só saísse de lá para comer e dormir. Quanto egoísmo! Isso é o que chamo de homem com “h” minúsculo! Eu ficaria totalmente frustrada, cansada, sobrecarregada, chateada e indisposta. E quantos casamento não estão assim? Vocês percebem que uma coisa puxa a outra? A mulher cansada despeja um monte de críticas e cobranças em cima do marido. O marido, por sua vez, se sente desrespeitado e desanimado, e acaba arrumando um monte de desculpas para não ajudar e não estar em casa. É o famoso ciclo de desamor e desrespeito.

Para explicar melhor, vou fazer uma ilustração. Imaginem dois bonecos juntinhos, que representam vocês dois no dia do casamento. Cada atitude desamorosa que o marido toma em relação à sua esposa e, cada palavra de crítica e cobrança que a esposa faz em relação ao marido, significa um passo para trás. Cada ato de amor e ajuda por parte do marido e cada palavra de incentivo e respeito por parte da esposa significa um passo à frente. Que distância você está do seu cônjuge hoje?

Fui muito abençoada por Deus por ter encontrado um marido colaborador e que sempre está disposto a ajudar, um homem com “h” maiúsculo! E agradeço também a minha sogra pela boa educação que deu aos filhos, pois muitos homens agem com egoísmo por conta da educação que receberam: “Homens trabalham fora e mulheres cuidam da casa”. Que grande mentira! Nenhum homem se torna menos homem porque lavou a louça ou deu banho nas crianças. Se fosse assim, todas as mulheres que trabalham fora seriam grandes “machonas”.

E por fim, gostaria de deixar algumas dicas de como resolver este problema. Sente com seu marido num momento de calma e anotem num papel todos os afazeres domésticos. Começando pela esposa, anote seu nome na frente de uma tarefa que prefere fazer, depois passe a caneta para o marido e assim por diante, até terminarem a lista. Afixem o papel na geladeira e pronto! Os dois precisam ter maturidade suficiente para cumprir com suas tarefas sem que hajam cobranças, evitando assim que novos problemas apareçam. Esposa, se o seu marido optou por lavar a louça, não dê pitaco! Se nos primeiros dias ele esquecer de passar o rodinho na pia e respingar água no chão, não reclame. Pelo contrário, dê um beijo, um abraço e agradeça-o por tê-la ajudado. Com o passar do tempo, você pode dar algumas dicas carinhosas: “Amor, obrigada por me ajudar tanto. Você é um homem maravilhoso! Será que se importaria em passar o rodinho na pia depois que termina a louça? Tudo bem pra você?”

Quer saber de uma coisa? Existem muitos homens que não ajudam porque são folgados mesmo, mas existem outros que tem razão em não ajudar, afinal, quando fazem alguma tarefa a esposa só sabe criticar e reclamar. Mulheres, cuidado com a língua! A Bíblia diz em Provérbios 14:1 que a mulher sábia edifica a sua casa, e a tola, com as próprias mãos a destrói. Percebeu que grande responsabilidade está em suas mãos? O que sai da sua boca tem edificado ou destruído o seu relacionamento?

Quando o marido auxilia a esposa nas tarefas de casa e educação dos filhos, ela se sente amada, cuidada, animada e valorizada. Mas quando a esposa retribui esses atos com feições, palavras e atitudes que transmitem: “Você não fez mais do que a sua obrigação”, faz com que seu esposo sinta-se completamente desanimado. O casamento é uma constante troca de amor, cuidado e respeito. Quer um homem com “H” maiúsculo? Seja você também uma mulher com “M” maiúsculo!

Share.

Leave A Reply