SOU CRISTÃ E AMANTE DE UM HOMEM HÁ 19 ANOS! – Caso verídico

12

Olá, Dani, boa noite. Meu nome é Andressa e estou numa situação que não tenho dúvida alguma de estar em pecado, só não sei como me livrar. Sinceramente, nunca ouvi um caso como o meu, e espero que sua experiência na área de relacionamentos possa me ajudar a encontrar o caminho para obedecer à Palavra. Tenho 40 anos, sou casada oficialmente há 2 anos, mas vivo com meu esposo há 9 anos. Sou cristã desde o começo da adolescência. Sempre fui muito precoce, e já nessa idade tive muitas experiências na vida cristã, trabalhando com evangelismo, visitas a centros de recuperação, sempre fui muito ativa na igreja… Ainda na infância sofri abuso sexual por parte do meu avô, fato que nunca revelei à minha família, e só consegui tratar do assunto e liberar perdão depois dos meus 23 anos.

Até aqui, provavelmente meu caso deve ser parecido com praticamente todos os que se aparecem pra você, né? Mas perto dos meus 21 anos foi que minha vida tomou um rumo complicado e que hoje se tornou ainda pior. Conheci um rapaz, Marcelo, por quem me apaixonei perdidamente, mas ele não era do Senhor, e era noivo de outra moça. Mesmo sabendo disso tudo, acabei me envolvendo com ele, inclusive sexualmente. Nos encontrávamos escondido, várias vezes por semana, e isso durou praticamente um ano e meio. Ele me dizia estar dividido, e, por estar há muito tempo com ela, ainda não sabia como terminar o relacionamento para ficar comigo. 

Um dia levei um grande choque: ela ficou grávida, mas ele sempre deixou claro que não queria abrir mão de mim. Terminamos o relacionamento e passei por um período turbulento, difícil, de culpa, medo, solidão, pois sabia que o que eu havia feito e desejava era errado, mas ao mesmo tempo não entendia como poderia ser errado amar. Entrei em depressão profunda, quando fui para o tratamento psicológico e acabei resolvendo diversas questões, como o trauma do abuso e dificuldades no relacionamento com meu pai, que não era cristão na época, mas nunca consegui resolver essa questão dos meus sentimentos pelo Marcelo.

Bom, achei que a saída para esquecê-lo seria a distância. Pedi que ele não me escrevesse, não me ligasse, fui muito sincera, e ele muito compreensivo. Mas a vida nos empurrava para encontros casuais, em lugares onde jamais poderia imaginar ou planejar encontrá-lo. Mesmo morando numa grande cidade, sempre acabava encontrando-o em um supermercado, um shopping, etc.

Durante esse período, namorei um rapaz por 3 anos, e chegamos a ficar noivos, mas o relacionamento terminou 5 meses antes do casamento, inexplicavelmente. Ele simplesmente rompeu comigo e desapareceu, sem deixar vestígios ou explicações. Após o rompimento, voltei a trocar e-mails com o Marcelo e voltamos a nos ver, o que acabou me levando a ceder sexualmente, novamente. Independentemente de qualquer envolvimento sexual, e mesmo ficando tempos sem nos falarmos, sempre tivemos uma amizade inabalável, sempre nos sentimos livres para conversar sobre qualquer assunto, e sempre estivemos disponíveis um para o outro, o que só fez fortalecer os nossos laços com o passar dos anos.


No começo de 2008, rompi novamente, e me afastei, porque entendi que jamais poderia encontrar alguém para amar, casar, e fazer feliz, enquanto estivesse perto dele. No final desse mesmo ano, conheci meu marido, Luciano e logo começamos a namorar, e fomos morar juntos. No começo tivemos uma vida sexual satisfatória, mas eu sempre gostei mais de sexo do que ele, e pela criação machista e falta de conhecimento cristão, ele nunca se abriu para o diálogo, mesmo eu tentando das mais diversas formas. Eu imaginava que com o passar do tempo e o aumento da intimidade, isso iria melhorar. Mas não melhorou. Temos épocas de mais de 20 dias de abstinência (sem qualquer tipo de carinho), e o que é pior, quando eu insisto, ele cede a receber carinho, mas não me dá nada, e eu fico ainda mais necessitada de satisfação. Eu voltei a ficar firme na Palavra, e ele se converteu há 2 anos, batizou-se (Glória a Deus!) e logo em seguida nos casamos.

Há pouco mais de 2 anos, passei num concurso público e fui trabalhar no mesmo lugar que o Marcelo, e voltamos a nos falar somente como amigos. Meu marido precisa viajar a trabalho as vezes, e quando vem em casa durante a semana, está cansado demais para um sexo que me satisfaça; Ele tem dificuldade com a bebida ainda, e isso também atrapalha nosso relacionamento. Sei que estou completamente errada, e vejo isso como uma grande armadilha, da qual não estou tendo força para me livrar. Entendo que o fortalecimento do meu casamento é o caminho para que eu ganhe forças para resistir à tentação e me afastar, romper, definitivamente com o Marcelo, mas acho completamente inviável conversar abertamente com meu marido a esse respeito, porque ele raramente abre espaço para falar da nossa própria vida sexual. 

Quando tento abordá-lo de forma bem humorada, ele me chama de ‘descarada’. Ou seja, o assunto é praticamente um tabu. Confessar a traição, seria o mesmo que por um fim ao casamento, não tenho a menor dúvida. Eu percebo que ele sente vergonha, medo, e se sente diminuído, sente a masculinidade afetada quando percebe que eu gosto mais de sexo do que ele, que eu tenho mais necessidade do que ele, e isso faz com que ele se afaste ainda mais. Temos alguns momentos incríveis, e no geral (fora o sexo) nosso relacionamento é excelente, nos entendemos muito bem, e tenho feito o possível para ajudá-lo a crescer na fé. Já li diversos livros sobre relacionamento e busquei usar várias técnicas para abordá-lo, sempre sem sucesso (mesmo antes de me reaproximar do Marcelo).

Pode imaginar o nó na cabeça de uma pessoa que conhece a Palavra profundamente e mesmo assim está vivendo em um pecado tão horrível? O pior de tudo é que quando estou com o Marcelo, ou mesmo quando estou com o Luciano, não consigo sentir culpa ou arrependimento. Ele só vem nos meus momentos a sós com Deus. Quando começo a orar, sei que não adianta tentar disfarçar, esconder ou camuflar a realidade, porque o que tenho praticado é o pior tipo de pecado, a falta de amor ao próximo, principalmente ao meu esposo, à esposa do Marcelo, à filha dele e a ele mesmo, pelo péssimo testemunho. E aí me derramo em lágrimas, em arrependimento. Fico trabalhando meus pensamentos, para buscar uma maneira de afastar-me completamente, mas ainda não sei como fazer isso, porque, sinceramente, gostaria muito de manter a amizade dele.

Hoje orei pela conversão dele, pela primeira vez, e me sinto envergonhada como cristã por viver uma história de 19 anos com ele, sem ter feito meu papel de bom testemunho, de pregação, de oração. Claro, ele sabe que sou cristã,  sabe de cada passo meu, e isso me deixa ainda mais envergonhada, porque sei que é o nome de Cristo que estou manchando com meu pecado. Há umas 2 semanas que não nos encontramos para o sexo, mas nos falamos todos os dias, durante praticamente o dia todo, por SMS ou messenger do Facebook, nos vemos praticamente todos os dias (nem que seja somente para um ‘alô’), como se fôssemos namorados, temos apelidos carinhosos, e sei que apenas em pensar nisso já estou pecando. Socorro, Dani, preciso de ajuda!

O que espero é que o Espírito Santo te traga a revelação de onde estão as pontas desse nó, para me ajudar a desfazê-lo, porque todas as orientações tradicionais já falharam. Agradeço a Deus com todo meu coração, pela sua vida, pois sei que o peso espiritual de um trabalho como o que você se dispõe a fazer não é pequeno, e você se coloca nas mãos de Deus, para fazê-lo desprendidamente. Fico esperando sua resposta, e autorizo que publique nossa conversa no blog, obviamente protegendo as identidades.
Um abraço, e a paz do Senhor,

Andressa.

Resposta:
Querida Andressa, me perdoe a demora na resposta. Obrigada por liberar seu caso para ser publicado. Com certeza será de grande valia para outras famílias e vidas angustiadas. Olha só, vou ser muito sincera com você. Percebo que a cola “Super Bonder” que te une ao Marcelo é o sexo e o bom relacionamento de amizade. Ele seria o cara ideal para você estar casada, mas infelizmente ele é casado e tem uma filha. E você também é casada. Que enrosco! Só que olhando da ótica espiritual, você também se casou com o Marcelo, quando se tornou uma só carne com ele. Não preciso nem dizer que você está vivendo uma vida de pecado, você sabe. Cada vez que cede ao Marcelo, inclusive nas mensagens e telefonemas, dá lugar a sua carne, e como estar com ele é prazeroso demais, você acaba alimentando este mal. A Bíblia nos ensina que se o nosso olho nos faz pecar, devemos arrancá-lo e lança-lo fora, pois é melhor entrar no céu com um só olho do que ir com os dois para o inferno (Mt 18:9).Você também sabe disso. Agora vou encaixar este versículo na sua situação: “Arranque o Marcelo da sua vida definitivamente, pois é melhor entrar no céu sem um amante do que ir com ele para o inferno”. 

Sua vida não é daqui querida! Somos estrangeiros em terra estranha. Este mundo passará, os desejos passarão, nossa carne desaparecerá… O que você está fazendo com o seu espírito? Deus é amor, Deus é bom, mas não é trouxa. Até quando você vai continuar se deliciando com seu prazer pra em seguida correr e pedir perdão? Cristo já perdoou todos os seus pecados quando morreu na Cruz. Acabou, está consumado! Mas quando recebemos este perdão verdadeiramente e entendemos a graça de Deus sobre as nossas vidas, somos constrangidos de tal forma que é impossível não se arrepender e lutar ferozmente contra o pecado que busca destruir nossa vida. Somos libertos da escravidão do pecado! A sua saída é acabar com qualquer contato com o Marcelo definitivamente. “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós!” (Tg 4:7), “…vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne.” (Gl 5:16)

Seu casamento nunca vai ficar bom enquanto estiver próxima dele. Se for preciso pedir demissão e mudar de cidade, não exclua esta possibilidade. E como você mesma disse, está dificultando o caminho do Marcelo até Cristo. Está sendo trevas na vida dele, não Luz! Está levando um pequenino de Deus a pecar, e pior, tem total consciência disso! Falo em amor! Continue buscando a Deus na sua Palavra e em oração. Cuide do seu casamento, ore pela vida do seu esposo. Peça ao Senhor que derrame sabedoria dos céus para lidar com a questões que estão por vir. Busque também uma conversa franca com seu marido a respeito da sua necessidade sexual, diga o quanto é perigoso não cuidarem desta área. Tenho dezenas de textos no blog que podem ajudá-los. As coisas sempre cooperam para o bem daqueles que buscam a Deus e vivem de acordo com os seus propósitos. (Rm 8:28)

Você já sabe o que deve fazer, só precisa decidir fazer.

Oro para que escolha viver a Luz!

Dani 

*Os dados foram alterados para manter a identidade da família.
Share.

12 Comentários

  1. Graça e Paz !!! Dani, vc falou e disse !!! Para incentivar a decisão correta da “Andressa”, peço que medite nesse texto, se possível leia o capitulo todo, leia não, devore-o…..Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
    Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado;Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
    Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado. Hb 11:24/25.

    Note bem, escolheu Deus, ao invés de por um pouco de tempo ter o gozo do pecado. E então, o que vai ser “Andressa”, vc decide !! Alias antes de perguntar a Dani, vc já sabia a resposta, há como sabia…

  2. Acho que ela deve levar o marido no médico e descobrir se o problema dele não é hormonal, testosterona baixo. E se afastar do amante o mais rápido! Deus abençoe!

  3. Muito bem, a Dani já deu a resposta! Se você ama realmente ao Senhor, precisa se afastar desse cara custe o que custar, não adianta vc querer tê-lo como amigo, pois isto está te enganando, ou nem mesmo queira convertê-lo, deixe essa tarefa para outros. É melhor se afastar definitivamente, e ainda que o diabo o coloque no seu caminho, se afaste, fuja, finja que não viu, vá pra outra calçada, não cumprimente, desligue o telefone, procure outro emprego, rasgue telefones e todo tipo de contato dele, troque seus números e deixe claro pra ele que não quer ver ele mais nunca na vida e foi um grande erro tudo que vocês fizeram. Ele também é um tremendo safado traindo a esposa desde o noivado! Agora a grande pergunta: Será que vc vai quer isso mesmo ou será que o prazer dos encontros às escondidas vai falar mais alto, o que adianta vc ter todo o prazer sexual, mas sabe que está longe de Deus? Será que vc teria coragem de fazer essa declaração do título no Grande Dia do Juízo do Senhor? Vc já sabe o que fazer, e se faltava algum impulso, nós te damos esse impulso, agora se vc vai querer fazer o certo ou continuar nos prazeres da carne, isto é com você! Quanto ao seu marido, ele precisa entender que vc tem necessidades e ele não pode simplesmente agir dessa forma, precisa haver diálogo e deixe bem claro essas necessidades. Detalhe: vc acha que é difícil viver com pouco sexo? Mas tenho mais idade que você, sou homem e virgem ainda e meu desejo é intenso, mas ainda espero no Senhor pela minha Rebeca, portanto vc também consegue. Deus te abençoe.

  4. Dani,queria saber qual o seu e-mail pra mandar minha história. Preciso de um conselho urgente…

  5. É preferível vencer e abandonar o pecado do que passar o resto da vida pedindo perdão. Pois se continuar assim no Livro da Vida o seu nome não estará escrito. Cuide de sua alma e mude agora. Não finja ser cristã. Deus sonda, esquadrinha os corações e sabe o que passa em sua mente. Palavras o vento leva… Pense nisso! Quantas almas pretende ganhar para o Senhor? Já confessou a Ele seus pecados e volta a comete-los. Conselhos podem te ajudar mas a Escolha é sua, e você sabe o pior pecado é daquele que conhece a palavra e persiste no erro. Se liberta disso para sempre em nome de Jesus Cristo! Amém…

  6. Seu aconselhamento foi perfeito!
    Quanta sabedoria!
    Que Deus abençoe essa senhora e ela se posicione segundo os valores cristãos, tão bem conhecidos por ela.
    abs

  7. Acho que o marido dessa “ANDRESSA” deverá tomar uns estimulantes naturais, como catuabas, ginseng, viagra indiano, e sobretudo procurar uma tribo indígena mais próxima e solicitar ao Pajé ervas que estimulam a libido. Ele voltará a cama totalmente revigorado, um verdadeiro” PAIAKAN”, gozando mais de três vezes por dia, sem espaço para Marcelo, João ou Ricardo. Uma garrafada de chá lá na tribo dos Pataxós custa menos de vinte reais, mais barato que um par de chifre bufalino.

Leave A Reply