SOLTEIRICE E MASTURBAÇÃO

2

Faz tempo que não tenho tido tempo (eu sei, ficou redundante) de fazer uma das coisas que mais amo na vida, que é escrever com a finalidade de auxiliar famílias e crianças. O blog ficou um pouco abandonado em 2017, mas gostaria MUITO de voltar a ativa esse ano. Mas como querer é uma coisa e poder é outra, a única coisa que prometo é tentar! Por falta de tempo, não tenho conseguido responder às dezenas de e-mail que recebo mensalmente. Leio todos os que chegam, mas consigo responder apenas uma pequena porcentagem, infelizmente. Já pensei em algumas estratégias, como criar um canal para responder a essas perguntas, já que hoje a galerinha está bem ligada nesse tipo de mídia. Mas como meu forte é escrever e meu fraco é falar na frente das câmeras (rs), ainda não tenho 100% de certeza se esse será o caminho, vamos ver…

Enquanto isso, penso que uma boa saída seja reunir e-mails que solicitam ajuda sobre o mesmo tema e tentar responde-los em um único texto. Semana passada, por exemplo, recebi três e-mail seguidos de mulheres com dúvidas a respeito da masturbação. Achei curioso, pois chegaram quase que juntos. Então pensei que talvez fosse um tema bacana para expor e dialogar. Continuo não querendo trazer respostas prontas e fechadas ao blog. Cada pessoa é uma pessoa, cada caso é um caso e por isso generalizar não é bacana. O que pode dar muito certo em uma relação, pode dar muito errado em outras. Por isso sigo com a ideia de deixar sugestões que talvez iluminem caminhos escuros. Quando alguém ou alguma situação incomoda demais, a ponto de interferir no seu humor por dias seguidos ou atrapalha sua rotina, o ideal sempre vai ser a busca por profissionais da área, como conselheiros de confiança de sua comunidade ou profissionais especializados.

O assunto masturbação nunca foi fácil de ser conversado. Na verdade, tudo o que se relaciona a sexo é difícil e bem delicado de tratar. Muitos tem um olhar negativo para as pessoas que “ousam” falar deste assunto abertamente (digo por experiência própria). Eu, particularmente, vejo como um assunto que precisa ser conversado pra que talvez um dia seja visto de forma menos doentia. Portanto, cá estou, enfrentando mais uma vez os olhares tortos dos mais puritanos – aqueles que criam leis que nem eles mesmos conseguem cumprir – e pronta para receber as pedradas em forma de palavras.

Sim, vamos falar sobre masturbação! Uma sujeira só pode ser tirada debaixo do tapete se antes assumirmos que ela existe, concorda? Se percebo que muitas pessoas estão sofrendo por conta do tema masturbação não posso fingir que ele não existe. Preciso trazer o assunto à tona e dialogar. As mulheres que me trouxeram o assunto relatam situações muito parecidas. Duas divorciadas e uma viúva. Todas tiveram experiências sexuais muito positivas e hoje, por sentirem falta do ato sexual, acabam recorrendo a masturbação, mas sempre com sentimento de culpa.

Já tratei desse assunto em outro post Masturbação: ciência x religião, onde expus as ideias de dois psicanalistas cristãos com a finalidade de um debate. Mas hoje, nesse post, pretendo pensar com vocês na difícil situação dessas mulheres. Talvez muitas leitoras não tenham um apetite sexual intenso, na verdade, muitas mulheres passam a vida sem sexo (e tranquilamente!). Mas para quem já experimentou o ato sexual de forma positiva (que é o caso dessas 3 pessoas que foram casadas), é realmente difícil, pois acabam sentindo muita falta. Algumas, inclusive, relatam que o desejo chega a atrapalhar a rotina. E, por favor, não julguem mal essas pessoas, o que seria crueldade. Na verdade seria o mesmo que crucificar alguém por ter vontade de fazer xixi diariamente. Não cabe. São apenas seres humanos com organismos funcionando de forma saudável. Simples assim.

Pois bem, o que fazer então diante dessa situação? A masturbação acaba sendo uma das possíveis saídas. O desejo está ali, ele vem sem ser chamado. Com algumas mulheres acontece diariamente, com outras, semanal ou mensalmente. Segundo seus relatos, a masturbação alivia a tensão acumulada e traz alívio por alguns dias. Se formos avaliar os prós e contras, penso que um contra importante seria a pornografia. A masturbação, no geral, acaba vindo acompanhada de pornografia, o que ao meu ver é algo bastante negativo. Não vou entrar nessa questão pois já escrevi a respeito no texto Pornografia é tão prejudicial assim ou isso é papo de crente chato? Dá um pulinho lá. Pois bem, além da pornografia, outro ponto contra seria o vício. Masturbação geralmente vicia. O prazer intenso (e momentâneo) que ela gera, é relacionado ao ato e imediatamente computado pelo seu cérebro. Seus níveis de dopamina vão às alturas e em seguida despencam. Um tempo depois seu cérebro lhe pede aquele estímulo que vai chegar à você como uma forma incontrolável de se masturbar (ou ver pornografia). É o princípio de qualquer vício.

Ok, depois de dois pontos contra, podemos colocar um ponto pró. Em casos extremos, a masturbação alivia a tensão, o desejo e te livra, por exemplo, de ficar enlouquecida pensando em transar com todos os garotos do escritório que te olham diferente. A ciência traz alguns outros pontos positivos como, conhecer o próprio corpo para melhorar a vida sexual com seu parceiro ou evitar câncer de próstata, que muitas pesquisas relacionam a baixa frequência de ejaculação (no caso dos homens, obviamente). Mas como hoje estamos falando de mulheres, esse último exemplo não poderia entrar como ponto a favor.

A grande questão agora é: estou solteira, exalando desejo pelos poros, tenho uma fé que me impede de sair mantendo relações com qualquer um… O que fazer?

Uma sugestão interessante seria a atividade física que alivia (e muito!) a tensão sexual. Se não puder realizar diariamente, tente pelo menos 3 vezes por semana. Outra alternativa é tentar encontrar atividades que também geram prazer como, dançar, cozinhar, passear, pintar, ler… São maneiras de sublimar o desejo. Se mesmo depois de incluir todas essas coisas em sua rotina o desejo continuar incomodando a ponto de trazer angustia e atrapalhar suas tarefas, não vejo mal se uma vez ou outra precisar recorrer a masturbação (sem estar vinculada a pornografia). Muitos religiosos condenam terminantemente a masturbação, mesmo sem a bíblia nunca ter falado sobre ela. Utilizam textos bíblicos de forma distorcida para colocar medo sobre as pessoas. Foi por isso que decidi criar este espaço, porque sei que a religião muitas vezes passa longe de Deus e da Bíblia, colocando um peso desnecessários nos ombros de cristãos sinceros. Não acho que Jesus se alegraria com isso, por isso escrevo.

Ok, muitos não cristãos devem estar achando esse papo ridículo, eu sei. Mas como esse blog é direcionado especialmente ao público cristão, é nesse sentido que escrevo. Temos uma fé e um manual de conduta. Temos um Deus que nos inspira e em quem nos inspiramos, e é com base nessa fé que buscamos viver e nos relacionar. Por isso sair se masturbando loucamente, assistindo pornografia ou transando com várias pessoas não são possibilidades.

Enfim, nunca é fácil falar e julgar quando não estamos vivendo a situação. Só quem vive sabe dizer realmente o que é lidar com essa angustia. Pra quem está de fora, é bem fácil apontar o dedo… Por isso não fecho a questão, acho saudável abrir para um diálogo (respeitoso e sadio). Esse é o meu ponto de vista como mulher, esposa, cristã e estudante de psicologia. Você não precisa estar sempre em concordância comigo ok? Vamos dialogar! Se já viveu ou vive esta situação, compartilhe aqui nos comentário (de forma anônima se achar necessário). Juntos somos melhores!

 

Share.

2 Comentários

  1. Marcelo Dantas on

    Todos sabem que o tema masturbação é o assunto mais difícil do universo (do ponto de vista cristão), pois não há uma solução aprovada e muito menos santificada, por mais que a Dani queridinha tente ajudar ou sugerir uma masturbaçãozinha de vez em quando pensando em cachoeira ou numa esposa virtual. kkkkkk Não, não adianta, é apenas a opinião pessoal dela! Também não se deve confiar em tudo que é pesquisa, vivo minha vida toda nessa luta há mais de 30 anos, sem esposa e sem sexo e não fiquei com câncer não…É tão difícil, que até os anjos e os demônios sabem disso muito bem e até mesmo Deus sabe, por isso mesmo Ele nos perdoa milhares de vezes que caímos, pois só Ele conhece cada coração e nossa luta diária contra o pecado, por mais que viermos a cair.
    Daí penso que…mas peralá, e todos esses abençoados, estão lá no púlpito né, as cantoras, as irmãs mais fervorosas do círculo de oração, até mesmo os velhinhos, mas vivem a vida toda muito bem né e quando chegam em casa é que o coro come, é sexo a vontade, de madrugada ou a tarde toda ou noites calientes, mandam as crianças para um passeio e o coro come bonito mesmo, e no outro dia estão lá profetizando, sendo usadas por Deus, o maravilhaahahaha..
    Só consegue saber o quanto é difícil quem vive o problema, não adianta esses casados, por mais que tenham boa vontade, vir me dizer de tomar banho gelado, de sair pra passear ou fazer esporte….não, nada disso resolve (só piora, pois vou comer a mulherada com os olhos), e não adianta inventar. Então qual a única saída hoje em dia?
    Eu vejo que apenas com um casamento isso se resolveria de forma mais “cristã possível”. Se eu quisesse, eu poderia sim me masturbar muito facilmente só pensando em cachoeira ou cantando o hino nacional, mas não adiantaria, seria pecado do mesmo modo!
    Não adianta enganar a nós mesmos. Eu sei que as mulheres têm mais essa tendência de achar que pode fazer isso sem problemas, pois já vi muitas assim com a consciência cauterizada, servindo a Deus e aos prazeres sexuais, mas dando a desculpa que é só de vez em quando pra se aliviar….
    Também vivemos numa época extremamente sensual, com fotos e imagens eróticas fartas a todo momento e em todo lugar dentro do nosso quarto, e a tentação é enorme. Acontece que o pecado sempre acontece no momento da tentação seguida da oportunidade, estou cansado de planejar todas as estratégias, mas quando surge a oportunidade, na forte tentação, a gente não consegue pensar em mais nada, apenas em satisfazer nosso desejo alí na hora, caímos no pecado, e isso é extremamente frustrante e triste, que não tenhamos forças pra resistir. Cansamos de resistir muitas vezes, mas do que adianta isso se logo mais ou outro dia caímos de novo…Em todas minhas quedas eu volto chorando pedindo perdão, nas centenas de vezes que fiz isso sempre foi com lágrimas, mas eu digo: ainda que o Senhor não acredite na minha libertação, mas eu acredito e quero continuar lutando contra o pecado!
    Prometí pra mim mesmo que na hora da forte tentação, não posso mais me entregar assim de bandeja, mas que pelo menos por 5min. antes de pôr a mão seja onde for, vou me obrigar a para pra pensar um pouco e orar pedindo forças ao Senhor ou cantar um louvor, se eu não conseguir, depois tudo bem, me masturbo, mas tenho certeza que se meditarmos um pouquinho só, teremos forças sim pra vencer o pecado. Que o Senhor nos ajude!

Leave A Reply