QUEM APITA O JOGO NO SEU CASAMENTO: A PAZ OU A DISCÓRDIA?

1

dicordia

Depois de um dia muito cansativo, com exames, médicos e compras, cheguei em casa exausta, preocupada com o avançado da hora e pensando nas tarefas que ainda estavam por vir: jantar, banho das crianças, mochilas, lancheiras, roupas na máquina, louça e o mais cansativo: guardar as compras do mês! Lembro que o cansaço era tanto que a minha vontade era largar tudo, cair na cama e acordar só no dia seguinte. Coloquei a chave na porta de casa e quando abri, que surpresa! Meu amado esposo estava arrumando a fiação da sala. Fios, ferramentas, cantoneiras, parafusos e sujeira por todos os lados. E o cachorrinho pulando no meio da bagunça. Respirei fundo, dei um sorriso e disse: crianças, já pro banho!

Liguei o chuveiro, coloquei os dois lá dentro e recolhi a roupa suja. Enquanto guardava as compras, fui contando ao meu esposo a saga do dia. No meio da conversa eu disse: “Nossa, ainda preciso preparar alguma coisa para o jantar. Amanhã eles acordam cedo, temos que agilizar”. Meu esposo entendeu a mensagem. Largou o serviço e foi para o banheiro terminar o banho dos pequenos. Eles saíram de lá limpinhos e de pijama. Nesse meio tempo preparei um sanduíche natural (foi o que deu) e jantamos todos juntos. Em seguida eles tomaram o leite e foram pra cama. Após o ritual do sono, retomamos nossos afazeres. Eu terminei de guardar as compras, lavei a louça, adiantei mochilas e lancheiras e fui tomar banho. Enquanto isso meu esposo terminou de arrumar a fiação, limpou toda a sujeira e quando deu 21h30 já estávamos na cama lendo um livro e conversando. Naquele dia escolhemos a paz.

A Bíblia nos ensina que a paz deve ser o árbitro do nosso coração. Isso não quer dizer que se você sentir paz na sua decisão está agindo de acordo com a vontade de Deus, não! Isso é um engano! Na verdade, quer dizer que se atitude “x” não for promover a paz, não deve prosseguir com ela. Como bons seguidores de Cristo, antes de falarmos ou agirmos devemos sempre pensar: “Isso vai trazer paz ou discórdia? Vai despertar a ira do meu cônjuge?” Se a resposta for sim, então não deve prosseguir. As suas ações, palavras e pensamentos devem revelar o caráter do Cristo que habita em você..

Se na situação colocada acima eu tivesse optado pela discórdia, provavelmente teria dito ao entrar em casa: “Isso são horas de arrumar a fiação? Você não sabia que eu estava chegando com as crianças? Tenho um monte de coisas para fazer, estou cansada… Amanhã eles acordam cedo!” Isso provavelmente despertaria a ira do meu esposo, pois a intenção dele era boa. Meu marido, por outro lado, se também tivesse optado pela discórdia, teria me deixado sozinha com o banho, o jantar, as compras e a limpeza da sala, o que obviamente despertaria a minha ira. No final, o processo teria sido muito mais demorado, desgastante e provavelmente dormiríamos brigados.

“Que a paz de Cristo seja o juiz em seus corações, visto que vocês foram chamados a viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos”. Colossenses 3:15

Este é o desafio que deixo a você: escolha a paz como árbitro das suas decisões, para que a harmonia reine no “jogo” do seu casamento.

Lembrando que estamos falando aqui de situações rotineiras. É preciso deixar claro que em casos mais críticos e delicados a sua obediência à Deus custará a paz do seu relacionamento – como no caso de uma esposa que não aceita o comportamento agressivo do esposo, por exemplo. Entre aceitar um comportamento agressivo e exigir uma mudança de comportamento do cônjuge, você deve optar pela obediência a Deus, que neste caso, seria não se submeter a qualquer tipo de agressão.

Falo em amor.

Dani

Leia também: Casamento sem conflitos, é possível?

Share.

1 comentário

Leave A Reply