POR QUE VALE A PENA CASAR?

3

coisas-que-ninguem-conta-sobre-casamento

Participei de uma entrevista para o blog Papo de Amigos e aí está o resultado! 😉

P.A. – Quais são os principais inimigos de um casamento saudável?

Dani: Na minha visão os três grandes inimigos de qualquer relacionamento são: a falta de diálogo, a falta de humildade e a falta de perdão. Sempre falo para os meus filhos que até os piores problemas podem ser resolvidos através do diálogo, reconhecimento do erro e perdão. Se uma das partes não é capaz de admitir suas falhas e ser humilde para pedir perdão, a caminhada torna-se insuportável, para não dizer impossível. Digo o mesmo em relação ao diálogo. Um casal que não dialoga sobre seus conflitos, angustias, emoções, sonhos, planos e não se dispõe a escutar um ao outro com empatia, fica estagnado e tem grandes chances de colocar tudo a perder. Entrar no casamento consciente disso já é um grande passo.

P.A. – Quais dicas você daria para manter o casamento sempre pegando fogo?

Dani: No meu ponto de vista não existe pegar fogo em 100% do tempo na realidade do casamento, isso é utopia. É natural que na época da paixão, ou seja, no início do relacionamento, o desejo sexual seja mais frequente e intenso, mas a rotina e convivência acabam diminuindo a intensidade dessa chama. E é importante frisar que isso não é ruim, pelo contrário, é o fluxo natural das coisas. No geral, os homens estão sempre mais desejosos e dispostos. Já as mulheres, por conta da influência cultural e por terem uma fisiologia diferente, acabam sentindo uma necessidade menor (com raras exceções), por isso parecem  menos pro-ativas nessa área. Mas para que isso não seja um fator negativo e que venha de alguma forma prejudicar a relação, recomendo sempre o diálogo aberto quando o assunto é sexo. É preciso falar sobre desejos, expectativas, fantasias, frustrações… O diálogo maduro é capaz de resolver muitas questões nessa e em outras áreas da vida. Outro detalhe importante é saber que não existe vida sexual ideal padronizada. Para alguns casais o sexo papai e mamãe uma vez por semana é mais do que suficiente. Já outros terão a necessidade de uma frequência e diversidade maior de posições e carícias. O importante mesmo é saber respeitar os limites de cada um e abrir espaço para o diálogo: “O que eu curto? O que não curto? Onde eu travo? O que posso fazer para ajudar? Vamos tentar outra coisa?”. Trabalhar para satisfazer o seu parceiro, enxergando isso como forma de obtenção de prazer (e não sacrifício), no meu ponto de vista faz muito sentido. Imagine um casal onde ambos tem essa visão, quanta satisfação não terão na área sexual? Nossa sociedade é extremamente egoísta e individualista. Aprendemos bem cedo alimentar o próprio umbigo e aquele que se dispõe a satisfazer o outro, acaba sendo visto como perdedor, bobo e fracassado. Mas note como fica mais difícil encontrar sintonia e prazer onde dois indivíduos egoístas buscam ser satisfeitos e não trabalham nunca para satisfazer o outro? Nesse caso a probabilidade de construir uma vida sexual sadia e satisfatória se torna muito menor. Achar que casamento bom é aquele que pega fogo em 100% do tempo é abrir caminho para a frustração, é correr atrás do vento. Os que acreditam assim são aqueles que vivem trocando de parceiros ou buscando prazer fora, pois associam o amor ao “fogo da paixão”, um erro bastante comum. Mas vale lembrar que alguns episódios podem sim diminuir a libido, tanto no homem quanto na mulher. São os problemas relacionados a hormônios, estresse, fadiga, rotina de amamentação, doenças… E quando isso passa a prejudicar a relação, vale a pena a visita a um especialista. 

P.A. – Por que vale a pena casar?

Dani: O casamento é a relação mais íntima que um ser humano pode ter. Nem a relação mãe e filho é capaz de proporcionar tamanha intimidade. No casamento é onde você tem a oportunidade de conhecer e ser conhecido no mais profundo do seu ser, e isso, se vivido honestamente, gera maturidade e nos transforma como seres humanos. Estar casado é decidir construir sua história de vida com outra pessoa, é dividir o peso e o conteúdo da mochila. Não é uma caminhada fácil, pelo contrário, é desafiadora! Mas creio ser esta uma das experiências de vida que mais nos fazem crescer e evoluir. Estar casado é ter alguém pra te levantar quando você cai no fundo do poço e alguém pra voar contigo nos momentos mais sublimes. É um caminho cheio de altos e baixos, mas que vale a pena ser trilhado. As oportunidades de aprendizado são infinitas! Uma experiência deliciosa e única!

P.A .- Quais dicas você daria para um casal que acabou de se casar?

Dani: Não acredito muito em regras prontas e manuais quando se trata de ser humano, mas acho que um bom caminho para quem está entrando nesse mundo é não criar grandes expectativas. Em qualquer área da vida, quanto mais expectativas criamos, mais nos decepcionamos. O fato é que na vida real não existe príncipes encantados e nem princesas Disney. Estar consciente disso já é um grande passo. Um segundo caminho é sempre se lembrar de não esquecer que o seu cônjuge é único, tem personalidade própria, foi criado em ambiente diferente e por isso terá manias e comportamentos bastante diferente dos seus, e ser diferente não significa necessariamente estar errado. E sua missão nessa jornada não é trabalhar para que ele entre no seu formato ideal e se comporte a sua maneira. Trilhem o caminho do diálogo, não tenham medo de reconhecer as fraquezas, admitir os erros, recomeçar e ceder quando necessário. Dessa forma a transformação virá naturalmente. No meu ponto de vista felicidade não se encontra, se conquista. E encontrar felicidade no relacionamento a dois exige muito esforço, persistência e paciência, pois casamento não vem pronto, é uma obra de arte que leva uma vida inteira para ser construída! 

*Trecho da entrevista cedida ao blog www.papodeamigos.blogspot.com

 

 

Share.

3 Comentários

  1. Marcos Vinicius on

    Com certeza, que um casamento (com a pessoa certa) vale muito a pena, mas….alguns por terem alguma dificuldade na vida, por ex. timidez excessiva ou muita pobreza ou as coisas nunca dão certo ou apenas simplesmente não acontece, e a pessoa não consegue se casar. Ter um casamento é o meu MAIOR SONHO, poxa se eu tivesse que escolher um casamento ou R$ 100 milhões de dólares, sem pensar eu preferiria um casamento feliz! Acontece que assim vivi toda minha vida, mas nem sequer uma namorada pra me alegrar, e depois dos 45 anos já, o que me resta mais….? Já começo a pensar que vou morrer assim, virgem, sem amor, sem ninguém, sozinho, uma vida não vivida? Pois não se trata de ir pra balada pegar mulher, não é só pelo sexo, se fosse por isso, bastaria frequentar certas redes sociais, a mulherada fica tudo ali loucas pra dá mesmo e ter aventurinhas sexuais com ou sem compromisso com quem tiver a fim de “comê-las”.

    São situações que nos prendem e não podemos dar outro passo, enquanto não conseguirmos sequer dar o 1º, não é questão de querer, é questão que até hoje não conseguimos, e aí? Tudo o que eu queria é ter uma esposa e ser feliz (e quero me casar pra ser feliz SIM), o ser humano gosta de filosofar, é claro que quero ser feliz, mas também quero demais fazer o outro feliz, isso é óbvio! Realmente a bíblia diz que há um tempo para todas as coisas, mas o que dizer no meu e no caso de centenas de milhares de moças e senhoras sozinhas, muitas morrem até virgem, outras com menos fé já desistiram do seu sonho e se contentam dizendo que não faz falta mesmo…Será que Deus se esqueceu da gente ou não se importa? O que faremos se chegarmos na velhice sozinhos, sem nunca ter experimentado o amor, nem o sexo, quem cuidará de nós?

    E a bíblia diz pedi e dar se vos-á Ok certo, meu Deus, eu só fui me importar mesmo em pedir com afinco depois dos 40, quando abri os olhos, mas quanta moça que pede por um esposo desde seus 15 anos, e passam-se os anos, e ela vê todas suas amigas se casando, tendo filhos, e é vigília, e jejuns…. Só em 2013 eu fiz 33 jejuns sozinho em casa e 242 horas de oração de joelhos em casa, em cada oração minha cama ficava com uma rodela de lágrimas, e a gente cansa de pedir, de chorar, de ver os anos se passando, entra ano, sai ano, mais um ano vai acabando. E quantas vezes consagrei 6 horas da madrugada para estar orando, louvando, buscando a Deus até amanhecer, mas alguns ainda acham que não temos fé ou que é porque não temos orado, pedindo? Afinal basta pedir e receberemos, certo!?

    E agora, o que faremos, vamos desistir? Já não há mais o que fazer, temos que esperar? Já estamos esperando a vida toda, estamos na reta final da vida, vamos morrer esperando? E o que faremos com os desejos que nos atormentam todo dia e de noite, ereções noturnas, sonhos eróticos, masturbação, etc, vamos cair na gandaia com a mulherada, já que não temos ninguém mesmo, devemos gozar a vida por um tempo antes que tudo acabe? É fácil cantar ainda que a figueira não floresça, eu me alegrarei em Ti… Apesar de tudo, sigo firme, e não deixarei de louvá-lo, e continuo esperando por tempos felizes ao lado de uma esposa!

    • Oi bom dia. Li seu relato e posso afirmar que já passei por isso. E tem coisas que fluem naturalmente. Tem momentos que vivemos no Salmo 70 mesmo, no apressa-te Senhor. Mas às vezes queremos que as coisas aconteçam ao invés de fazermos a coisa acontecer. Tipo tem gente que fala “só caso com a fulana que tiver vestida com a roupa tal” e esse será o sinal de Deus. No meu caso (hoje sou casada) o primeiro relacionamento foi assim. Eu me relacionei com um homem que na verdade era um moleque, mas eu estava ansiosa demais e haviam pessoas que torceram , falaram que era de Deus e tudo, e assim começamos o namoro. No começo mil maravilhas pra mim (nunca tinha namorado antes) , mas nós nos víamos poucas vezes (eu me sacrificava entre faculdade, igreja, namoro e da parte dele não via o mesmo esforço). Ficamos por 3 anos, relacionamento desgastado, emagreci muito, foi horrível ,tentando terminar porque ele estava muito desinteressado. Orei a Deus porque entrei no relacionamento sem ele e até disse coisas que não deveria. De último ele foi convidado pra um casamento de uma amiga e disse que caso A MÃe dele não fosse se eu gostaria de ir; no Reveillon o chamei pra passarmos juntos e ele disse que não daria porque acabara de adotar um cachorro e tinha de ficar com ele em casa por causa dos fogos e outras coisas. Enfim, terminei com ele. Senti como um peso saindo das minhas costas. Algumas semanas depois, voltei a orar a Deus, mas desta vez fiz diferente. Não dei margem para os outros opinarem na minha vida. Conheci um rapaz e começamos a conversar (conversar mesmoooo, sobre tudo, igreja , tudo nada de beijo, mão dada). Amizade linda. Começamos a namorar 1 ano depois, quando através da conversa e orações as coisas se encaixaram. Não veio um anjo do céu tocar trombeta ou outra pessoa veio e falou que era de Deus, mas nós sentíamos ser de Deus. Ela não é perfeito, assim como não sou. Ele hoje é meu esposo. O que te falo é: Ore primeiro a Deus. Segundo, abra seu coração, seja menos intolerante, seja mais ousado. Claro casamento é coisa séria, você não é qualquer um e não falo pra atirar pra todos os lados. É que às vezes nós criamos a redoma de vidro e queremos que as pessoas adivinhem que não queremos permanecer só. Faça amizades. Não se isole. Se ame. Cuide de você. Do templo do Espírito santo que és. Já desejo sorte de bençãos em sua vida sentimental e demais Áreas.

Leave A Reply