MULHERES VICIADAS EM MASTURBAÇÃO E PORNOGRAFIA – Casos verídicos

2

Pessoal, essa semana vou compartilhar com vocês dois casos parecidos. Como sempre, os dados foram alterados para preservar a identidade das leitoras. Oro a Deus para que esses testemunhos edifiquem suas vidas!

1° Caso

Oi Dani, já que você deu seu aval (rs), voltei para compartilhar algumas coisas que me atormentam e não tenho coragem de revelar para minhas amigas, por medo de decepcioná-las… Queremos sempre ter uma palavra amiga, mas acabamos nos escondendo. Bom vamos lá. Me chamo Andressa, tenho 29 anos, atualmente trabalho e estudo (faço farmácia) e como ministério, trabalho com as crianças na igreja Batista aqui em Goiânia.


O Senhor me mostrou os seus caminhos quando eu estava com 20 anos, em profunda depressão, pois nessa época estava envolvida com um rapaz casado e tudo isso me fazia muito mal. Desde então tenho tentado servir a Cristo e fazer sua vontade. Muitas coisas eu consegui abrir mão, mas uma específica ainda luto… Na realidade não luto, pois já está tão dentro de mim que é como se fosse um pedaço de mim, e sinto que isso tem me consumido e me afastado de Deus.

Tenho problemas com a pornografia desde o meus 10 anos, quando vi um filme chamado ‘Kids’, onde no final do filme tem uma cena em que um menino e uma menina transam. A partir daquele dia ascendeu minha curiosidade sobre sexualidade, sobre meu corpo e tudo que permeia a mente de um adolescente.

Com relação as coisas pornográficas, tive acesso bem mais cedo, com uns 8/9 anos na casa de uma amiga, pois os pais dela tinham revistas de pessoas transando e eles guardavam embaixo do colchão, e ela sempre pegava para gente olhar. Tudo piorou muito quando tive acesso a pornografia via internet. Pronto, desde então, quando esta tudo tranquilo e a carência não aperta, vou bem, mas é só acontecer alguma coisa que lá estou eu entregue aos vários vídeos e a masturbação.

Nunca confessei isso a ninguém, ninguém mesmo, tenho vergonha, mas é mais forte que eu… Todos comentam muito da pornografia masculina, mas a minha me acompanha desde que me entendo por gente e hoje, não consigo imaginar minha vida sem ela. É realmente triste, mas quero tentar!

Ouvi uma ministração outro dia que me fez entender o quão mal estou e como preciso de ajuda, mas não sei o que fazer… Bom Dani, é isso. Estou morrendo de vergonha, mas precisava confessar e clamar por ajuda. Obrigada desde já!

Resposta:

Oi Andressa! Você não é a única… Já recebi diversos e-mails parecidos com o seu. É interessante que em 98% dos casos (estatística minha), existe uma ligação com algum fator importante da infância. Bom, a primeira coisa a se fazer (e você já fez) é reconhecer que isso não é bom pra você. Se tornou um vício como outro qualquer, e este vício tem atrapalhado sua vida, seu relacionamento com Deus e com certeza influenciará no relacionamento sexual com seu futuro esposo. E o que fazer? Você terá que lutar contra ele, pela fé, não tem outro jeito. Coloque suas garras pra fora e lute! O Espírito Santo de Deus habita em você e ele deseja ajudá-la nesta luta. Paulo enfrentou lutas também, e elas não foram fáceis. Eu também enfrento as minhas, e tem dias que elas parecem verdadeiros leões. Leia Romanos 7 do versículo 5 ao 25:

“Pois quando éramos controlados pela carne, as paixões pecaminosas despertadas pela lei atuavam em nossos corpos, de forma que dávamos fruto para a morte. Mas agora, morrendo para aquilo que antes nos prendia, fomos libertados da lei, para que sirvamos conforme o novo modo do Espírito, e não segundo a velha forma da lei escrita. Que diremos então? A lei é pecado? De maneira nenhuma! De fato, eu não saberia o que é pecado, a não ser por meio da lei. Pois, na realidade, eu não saberia o que é cobiça, se a lei não dissesse: “Não cobiçarás”. Mas o pecado, aproveitando a oportunidade dada pelo mandamento, produziu em mim todo tipo de desejo cobiçoso. Pois, sem a lei, o pecado está morto. Antes, eu vivia sem a lei, mas quando o mandamento veio, o pecado reviveu, e eu morri. Descobri que o próprio mandamento, destinado a produzir vida, na verdade produziu morte. Pois o pecado, aproveitando a oportunidade dada pelo mandamento, enganou-me e por meio do mandamento me matou. De fato a lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom. E então, o que é bom se tornou em morte para mim? De maneira nenhuma! Mas, para que o pecado se mostrasse como pecado, ele produziu morte em mim por meio do que era bom, de modo que por meio do mandamento ele se mostrasse extremamente pecaminoso. Sabemos que a lei é espiritual; eu, contudo, não o sou, pois fui vendido como escravo ao pecado. Não entendo o que faço. Pois não faço o que desejo, mas o que odeio. E, se faço o que não desejo, admito que a lei é boa. Neste caso, não sou mais eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim. Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo. Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim. Assim, encontro esta lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim. Pois, no íntimo do meu ser tenho prazer na lei de Deus; mas vejo outra lei atuando nos membros do meu corpo, guerreando contra a lei da minha mente, tornando-me prisioneiro da lei do pecado que atua em meus membros. Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! De modo que, com a mente, eu próprio sou escravo da lei de Deus; mas, com a carne, da lei do pecado.”

Querida, um dia você creu em Jesus, entregou sua vida à Ele, e a partir de então, recebeu o perdão por todos os seus pecados, dos que cometeu e pelos que ainda vai cometer! Você não pode mais viver na escravidão do pecado, pois Cristo te libertou! Você ainda vai errar? Claro que sim! Mas não pode mais VIVERno pecado, percebe a diferença? Precisa lutar contra ele com unhas e dentes! “Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês”. Tiago 4:7.

E outra coisa, quando você se entrega à masturbação a pornografia, está alimentando a indústria pornográfica e entregando seu corpo à imoralidade. Ou seja, não está prejudicando somente a si mesma, mas aos envolvidos na produção dos vídeos (que ganham com os seus acessos) e também ao seu futuro marido, que um dia vai sofrer as consequências dos seus atos. Não falo para amedrontá-la, mas para que você tenha consciência de que as consequências do seu erro afetam outras pessoas, e isso infringe um dos maiores mandamentos que recebemos de Jesus: Amar ao próximo!


Enfim, o segredo é fortalecer seu espírito através da leitura da Palavra, oração e jejum (associado à oração e leitura da Palavra, para que não perca o sentido). Busque a Deus como nunca! Se alimentar seu vício, ele é quem vai se fortalecer, e a luta será mais difícil. Arranque do seu “corpo” os membros gangrenados, antes que eles contaminem todos os outros órgãos: “
Se o seu olho direito o fizer pecar, arranque-o e lance-o fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno. E se a sua mão direita o fizer pecar, corte-a e lance-a fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ir todo ele para o inferno”. Mateus 5:29,30.

Bloqueie computadores, celulares e tv para qualquer tipo de material pornográfico. Fuja disso como nunca fez antes! Quando cair, arrependa-se, levante-se e continue a caminhada. Deus entende a sua luta. Ele não está olhando para suas quedas, mas sim para seus esforços, lembre-se disso.

Bom, espero ter ajudado de alguma forma. Fique firme e não desista. O Senhor é contigo, creia!

Um beijo grande,

Dani

2° caso

Oi, Dani! Tudo bom? Decidi te escrever há algum tempo, mas só agora tomei coragem. Conheci você através de um Podcast no Irmaos.com e a partir daí passei a ser leitora do seu blog e também do Genizah. Que Deus possa continuar abençoando todos vocês nesse ministério. Eu não sei bem como formular minha dúvida, mas a questão é a seguinte: Desde uns nove anos, eu tenho contato com a pornografia, seja por revistas, filmes e etc. Meus pais não são evangélicos e eu sempre me deparei com essas coisas na minha casa. É claro que elas ficavam escondidas, mas depois da primeira vez eu sempre ia em busca delas pra sentir algo que eu ainda nem sabia o que era, mas sabia que me dava prazer. Depois, com o acesso à internet, tudo ficou mais fácil. O vício se concretizou e eu tomei consciência de que o que eu fazia (masturbação) era errado. Mas com computador em casa, trancada no quarto, como resistir? Isso sempre foi um peso pra mim, sempre me senti culpada, suja e indigna.

Hoje tenho 21 anos e há alguns anos eu comecei a ler blogs como o ‘Não Morda a Maçã’ e a pelo menos tentar vencer esse vício. Atualmente não me sinto mais tão culpada. Eu sei do meu pecado, do meu erro, mas sei também que não é isso que vai fazer com que Deus me ame menos e sei que inúmeros jovens e até pessoas casadas passam pelo mesmo problema que eu. Sei que não tenho que parar de fazer isso somente pelo temor, pelo medo de ser descoberta, pelo medo de ir para o inferno e de sofrer a ira de Deus, tenho que parar de fazer isso por amor. Amor ao que Cristo fez por mim na cruz, amor a um pai que me ama e só quer o melhor pra mim. Tem sido mais fácil superar esse erro a cada dia. Apesar de tudo, ainda me machuca muito lembrar dessas coisas, principalmente quando penso em um relacionamento futuro.

Eu creio que no momento certo a pessoa certa vai chegar e eu acredito que um relacionamento cristão deve ser diferente dos relacionamentos atuais que visam sempre o desejo. Deve ser um relacionamento voltado para o espírito, para o conhecimento e creio que o namoro vem depois do casamento. Mas quando penso em um relacionamento puro, lembro que não sou mais tão pura assim. É duro pensar que eu quero um relacionamento sem beijos com meu namorado e pensar: como assim ele não pode me beijar, me tocar, se centenas de homens já me viram nua e me masturbando na frente de uma webcam? Sim, porque já cheguei ao ponto de entrar em sites de câmera online e me mostrar pra quase mil pessoas ao mesmo tempo. Mas acho que esse mal eu já cortei. Quebrei a webcam =D. Mas as lembranças ficaram.

Eu sei que o que eu fiz no passado deve ficar no passado, e que isso diz respeito a mim e a Deus, mas é complicado. O meu maior dilema é saber se o meu futuro esposo deve ter ciência dessas coisas. Às vezes acho que se eu não contar, é a mesma coisa de uma prostituta estar escondendo seu passado. Mas e se ele souber e no futuro jogar isso contra mim? Nunca se sabe. Se ele não souber, pode pensar que eu sou uma menina pura, que não sabe de nada, e não é assim, eu já fiz e vi muita coisa. Se eu não contar, sinto como se estivesse escondendo algo dele, não me mostrando por inteiro, mostrando ser algo que não sou.  Às vezes acho que ele deve saber sim, mas dá um medo… E se essa for a melhor solução, como fazer isso? Em que momento do relacionamento devo fazê-lo? Como superar esse medo? Já vi você ajudando tanta gente. Tenho certeza que com a sabedoria que Deus te dá, você vai me dar uma luz =). Muito obrigada pela atenção e que Deus te abençoes grandemente!

Resposta:

Querida, o melhor você já fez, que foi reconhecer o seu erro e lutar contra ele. Fique firme e receba minha admiração pela sua sabedoria e persistência. Quanto ao seu futuro esposo, meu conselho é: fique em paz! Busque a Deus em oração e leitura diária da Palavra. Continue obedecendo aos dois maiores mandamentos que Cristo nos deixou: Amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesma. Outra coisa, se você entendeu que Cristo já te perdoou, precisa também se perdoar, ou seja, tentar não se remoer com perguntas do tipo: “Como vou ter um namoro puro se não sou mais pura?”. A partir do momento que você se arrependeu e buscou a transformação, seus pecados desapareceram diante de Deus. Você precisa trabalhar isso na sua cabeça, todos os dias.


Sabe o que acho engraçado? É que os cristãos costumam colocar os pecados relacionados a sexualidade numa categoria a parte, como se fossem mais graves que os outros. E se o seu futuro esposo tiver o vicio da glutonaria ou da mentira, por exemplo? Não tem diferença alguma. Somos todos pecadores e igualmente carentes da graça de Deus. O relacionamento de amor entre marido e mulher é uma oportunidade linda de aceitação, exercício de perdão e restauração da nossa humanidade. O esposo deve amar sua esposa e ajudá-la nas suas lutas e pontos fracos e a esposa, da mesma forma. O casamento é um trabalhar de Deus no nosso caráter.


Cuide das coisas do Senhor e Ele cuidará das suas, creia! Se o seu esposo for um homem justo e realmente temente a Deus –  que não tem nada a ver com assiduidade aos cultos e programações da igreja (e esta deve ser a principal qualidade a se observar em um homem), ele vai compreender. O papel de acusador é do diabo, ninguém mais tem o direito de fazer isso. O seu marido deve te amar como Cristo amou a igreja e se entregou por ela (Ef. 5:25). E o que Cristo fez? Ficou apontando os nossos erros e trazendo a tona tudo o que fizemos de errado no passado? NÃO! Ele nos perdoou! O seu futuro esposo, sendo um homem de Deus, vai te amar e te aceitar mesmo que o seu passado seja “horrendo”. E a hora certa de contar? Peça sabedoria a Deus diariamente e Ele vai te orientar, creia! Vocês terão este momento especial juntos e tudo vai ficar bem. Deus te ama e tem o melhor pra sua vida. Continue buscando-O com todas as forças e descanse. Leia Salmos 32 e 37: 3 à 6, vai te confortar.

Em amor,

Dani 

Share.

2 Comentários

  1. Paulo Lima on

    Aí está o mal do século 21 para nós cristãos sinceros. A pornografia e masturbação está comendo solta no meio cristão, esse não é mais um problema masculino, mas que atinge todos, desde crianças, adolescentes, mulheres, homens, idosos, casados, pastores, padres, etc. A indústria pornográfica foi feita para escravizar os homens, mas hoje em dia já pegou as mulheres também, não precisa necessariamente ser viciada, e eu também luto desesperadamente pra fugir dessas coisas, não posso ser hipócrita. Sinceramente amamos de todo coração nosso Senhor, mas por mais que lutemos, o que vamos fazer quando estamos a ponto de explodir de desejos e não temos uma esposa(o) pra nos aliviar. Oras, quem tem a sua esposa, vai fazer sexo com ela a noite toda e acabou! Temos que viver toda nossa vida sufocando nossos desejos, não podemos pensar em sexo, não podemos dormir de barriga pra baixo, não podemos ficar mais a vontade no calor, não podemos sair pelado(a) pra pegar a toalha esquecida, qualquer coisa que se faça ativa nosso desejo e aí? Lutamos contra isso toda nossa vida, mas acabaremos caindo uma hora ou outra, pois somos humanos, não temos água de cisterna nenhuma pra beber, estamos sempre morrendo de sede e aí o que fazer nesse mundo hyper sensualizado? O mundo não vê nada demais, os médicos aconselham e todo mundo incentiva, mas lá no íntimo sabemos que o Senhor não se agrada disso.
    A trilogia 50 tons de cinza prova isto, e as mulheres estão caindo como patinhas, quantas não começam se masturbar apenas lendo aquele lixo, estão cada vez mais presas na pornografia, pois o diabo sabe que muito dificilmente se consegue a libertação, para os homens basta ver uma bela bunda feminina e está feito o estrago e para elas, o diabo acrescentou o romance pra enganá-las do mesmo modo. Eu fico com pena quando vejo alguém dizer que já está liberta, que já faz 2 meses… Mas é apenas uma questão de oportunidade para cair de novo, basta um fim de semana livre na internet, é uma questão de tempo e a pessoa vai acabar fazendo tudo de novo. Precisamos entender que essa luta é pra vida toda. Não adianta dizer que quer se libertar mas continua vendo Tv e Internet.
    Em cada site tem uma portinha pra pornografia, até neste aqui, duvida? Com 3 cliques de acesso, pode-se ver pornografia pesada, essas fotos das moças do Facebook me atraem demais (em todo site tem, sei que não posso clicar ali, mas a tentação é enorme, então evito olhar naquele canto), 2º procurar os assuntos que elas curtiram (cliquei num assunto sexual) e 3º cliquei em links de comentários, que abriram gifs de penetração (tudo apenas por curiosidade, eu não sabia até ver a imagem). Fui procurar um louvor no site Vagalume, mas por cima abria-se a imagem de uma mulher pelada sentada em cima da bola, balançando pra lá e pra cá (acredito que todos já viram), então tudo nos engana e nos induz ao erotismo e pornografia. Quanto mais tempo se passa na Internet mais somos vulneráveis a pornografia. Portanto eu estou abandonando a internet, procuro evitar ao máximo Youtube e Facebook, isto pra mim é um veneno e já me envenenei muitas vezes. A única forma de vencer é fugir, abandonar Tv e Internet (isto equivale a arrancar os olhos e a mão que nos faz pecar que Jesus ordenou) e que o bom Deus tenha misericórdia de todos nós e nos dê sabedoria pra fugir sem piedade das coisas que nos escravizam.

  2. Com certeza suas palavras falaram tudo.Eu poderia escrever aqui um comentário mas ficaria bem abaixo do seu.A punheta está destruindo homens de família, acabando com casamentos.As mulheres mesmo viciadas em pornografia é fácil para elas arranjarem sexo e relacionamentos,basta se exibirem na tela de um computador para terem vários marmanjos a escolha.Já o homem viciado em pornografia e masturbação é um pouco diferente geralmente ao contrario das mulheres não conseguem sexo fácil e por isso trocam sexo por masturbação e o pior acontece quando procuram sexo pago como a única solução, porque no final acabam solitários ou casam-se com mulheres que não lhe satisfazem sexualmente.

Leave A Reply