EXISTE UM IDEAL DE FREQUENCIA SEXUAL NO CASAMENTO?

0

Recebo muitos e-mails de pessoas reclamando da falta de desejo sexual do cônjuge. E você se engana se pensa que as mensagens são enviadas apenas por homens. Não, não! Muitas mulheres andam se queixando também. E, nesses casos, as primeiras duas perguntas que costumo fazer é: “Qual é a frequência sexual atual entre vocês? E, pra você, qual seria o ideal?” As respostas são as mais diversas:

“Atualmente fazemos uma vez por semana, mas pra mim o bom seria pelo menos três vezes!” ou “Temos feito uma vez ao mês, mas eu gostaria que fosse no mínimo a cada quinze dias.”ou ainda “Minha vontade era que fosse todo dia, se possível duas vezes ao dia, mas meu parceiro(a) só da conta de três vezes na semana.”

Leio e escuto respostas como essas há mais de seis anos e a conclusão que chego é que não existe regra quando o assunto é frequência sexual. Um casal pode estar muito satisfeito fazendo sexo três vezes na semana, enquanto outro, pode estar rindo a toa fazendo três vezes ao mês. E não acho que seja possível medir realização sexual a partir da perspectiva “frequência”. Conheço casais que fazem sexo quase que diariamente e a esposa não se sente realizada, enquanto outros, fazem duas a três vezes ao mês e relatam muita satisfação e qualidade. Depende muito do perfil de cada casal, da rotina e dinâmica familiar.

A grande questão na verdade não é o ideal de frequência sexual, mas se o casal está em sintonia. Os problemas começam a aparecer quando há muita divergência na intensidade do desejo de cada um. Por exemplo, se temos um casal onde o homem expressa o desejo de manter relações três vezes na semana e a esposa só a cada quinze ou vinte dias, é certo que os conflitos virão. Nos aconselhamentos que faço, noto que em casos como estes muitas pessoas (principalmente os homens) acabam recorrendo a pornografia e masturbação quando percebem que (depois de muitas insistência) não há retorno positivo por parte do cônjuge. Mas quando a reclamação vem das esposas, o que normalmente acontece é um sentimento de frustração e baixa autoestima: “O que será que tem de errado com meu corpo? Será que ele não sente mais atração por mim?

Seja qual for o caso, a minha sugestão é sempre a mesma: diálogo e muita transparência. Seu cônjuge não tem a obrigação de adivinhar suas expectativas na área sexual. Vocês precisam criar o hábito de conversar sobre o assunto. Fale pra ele a intensidade do seu desejo, se existe alguma frustração, quais são as expectativas, analisem a rotina… E também esteja aberto a escutar o outro lado. Se as diferenças não forem tão grandes, com uma conversa, concessões e pequenas mudanças na rotina, é possível solucionar com facilidade. Agora, se forem muito extremas (marido que deseja sexo diariamente e uma esposa que quase não tem desejo sexual), é preciso levar a questão a sério se realmente há o interesse em manter o casamento. Conheci um casal que se divorciou porque o marido não conseguiu dar conta da esposa, que pedia sexo diariamente. Ou seja, é melhor que não empurrem a sujeira pra debaixo do tapete. Tragam o problema à tona e tentem juntos resolver.

A solução pode estar no diálogo aberto, transparência, respeito na escuta e também na busca por profissionais especializados. Alguns exames de rotina, por exemplo, podem explicar a frigidez de uma mulher. Um problema sério na empresa do marido (fonte de constante estresse), pode explicar a falta de desejo do esposo. Um terapeuta de casais certamente poderá ajudar nesse processo indicando o melhor caminho pra cada caso. O importante é sempre lembrar que na área sexual não existem regras e que é preciso estar aberto a entender a individualidade de cada um. Não queira, jamais, impor sua vontade sobre seu cônjuge. Isso só tende a piorar a situação. Se existe o real desejo de investir no casamento, não há como fugir das concessões de ambos os lados. Os dois terão que ceder. Um pouquinho aqui e outro pouquinho ali, persistência, diálogo, esforço, equilíbrio e amor. Se os dois lados estiverem dispostos a trabalhar por isso, mesmo que o caminho seja longo, é certo que logo encontrarão uma saída!

Share.

Leave A Reply