DESPEDIDA

1

mensagens-de-agradecimento-e-despedida-3

Tenho recebido dezenas de e-mails com pedidos de ajuda. Vejo a angústia e desespero nas palavras: “Não sei mais o que fazer”, “Por favor me ajuda!”, “Você acha que ainda tem volta?”, “O que eu faço?”. Sinto a dor dos que me escrevem e tristeza por não conseguir atendê-los. Precisaria de um consultório 24 horas para acompanhar todos os casos. Quando iniciei o trabalho de aconselhamento aqui pelo blog, tinha tempo disponível para responder todos os e-mails que chegavam, pois não eram muitos, mas este ano a quantidade de pedidos de socorro extrapolou todas as minhas expectativas. Alguns me perguntam: “Por que você não passa os casos para outros profissionais atenderem?” Simples, porque o perfil do site é outro. As pessoas que me procuram pedem total sigilo e, na grande maioria das vezes, compartilham segredos nunca antes revelados. Acabo exercendo o papel de confidente. Não sou psicóloga, não cobro e o blog não é consultório. Faço apenas um trabalho de aconselhamento, ou seja, escuto (leio) e dou o meu parecer baseado na minha fé. Em alguns casos específicos, quando vejo que o casal está evoluindo e aberto, continuo o diálogo por um tempo. Nesses casos (que são raros) o problema costuma ser solucionado, mas na grande maioria das vezes a troca de e-mails é muito breve, ou porque a pessoa é madura e consegue rapidamente aplicar os conselhos ou porque já não há mais solução, pois um dos cônjuges desistiu lutar. Mas quando percebo a necessidade de atendimento profissional, não penso duas vezes! Logo encaminho para psicólogos ou terapeutas conhecidos.

O interessante é que de uns seis meses pra cá, o tema dos e-mails tem sido muito semelhantes: Eu traí, fui traído ou ele(a) me deixou. Incrível a quantidade de casos de adultério e divórcios! Muitos me escrevem desesperados, clamando por uma fórmula mágica para ter seu parceiro de volta ou conseguir abandonar o(a) amante. Bem que eu gostaria de ter! Mas a verdade é que hoje, depois de quatro anos de aconselhamento, muitos estudos e onze anos de casada, descobri que existe uma única possibilidade de amenizar os conflitos no lar e manter um relacionamento saudável. O egoísmo e falta de perdão são os grandes vilões dos relacionamentos e Cristo, o Deus que se fez homem, veio para nos mostrar o jeito certo de ser gente, através do altruísmo, amor decidido e perdão. Olhe para ele e saberá como se tornar um bom marido, esposa, filho(a), amigo(a), funcionário(a), chefe… Forjando o caráter de Cristo em si, a possibilidade de viver um relacionamento maduro e cheio de paz aumenta, e muito! E quando os dois lados entendem e agem dessa forma, a convivência fica deliciosa! Digo por experiência própria. Sinceramente? Hoje não enxergo outra saída. Todos os livros de fórmulas para sucesso do casamento levam para o mesmo caminho: crucificação do ego. O grande problema é que na maioria dos casos um dos dois lados não está disposto a reconhecer seus erros e abrir mão daquilo que machuca o outro. Mas casamento é isso!

Como não tenho conseguido responder as dezenas de pedidos de socorro (e fico triste por isso), resolvi terminar o ano com um texto de despedida, um texto de resposta à todos aqueles que me escreveram em 2014 solicitando uma saída para seu sofrimento. Eu  poderia deixar aqui os típicos jargões evangélicos: “Deus é a sua saída! A vitória está em suas mãos! Seu casamento será restaurado em nome de Jesus!” , mas por experiência própria descobri que palavras ditas com convicção e fé não mudam uma realidade se não vierem acompanhadas de atitudes. Declarar que a vitória é sua em nome de Jesus vira amuleto se você não busca esclarecimento, não abre mão do seu ego, não assume seus erros e não passar a olhar a necessidade do outro. Se os dois não se engajam na luta pelo casamento, fica quase impossível! As vezes até permanecem juntos, morando debaixo do mesmo teto e dormindo na mesma cama, mas não conseguem desfrutar da experiência de “uma só carne” de forma plena. Como isso é triste!

Igreja não salva casamento, nem pastor, padre, reza “braba” ou oração forte, mas um relacionamento íntimo com o Mestre Jesus pode salvar a sua vida e te ajudar a lidar de forma madura com todo e qualquer conflito que surgir na caminhada. O problema é que a maioria das pessoas esta em busca de respostas prontas, um pó mágico para o fim dos problemas. Sinto-lhe dizer: isso só existe nos contos de fadas! Caminhada com Cristo e restauração de relacionamentos leva tempo e dá trabalho, muito trabalho! Ou você faz sua parte ou vai passar o resto dos seus dias em busca do parceiro ideal (e nunca vai encontrá-lo).

Não sei qual é o problema que está enfrentando em seu casamento hoje: divórcio, abandono, agressão física, pornografia, adultério, dívidas, desempenho ou traumas sexuais… Seja qual tema for, este site está repleto de textos escritos com muito carinho. Um trabalho árduo de quatro anos! Na lateral superior direita você encontra um campo de buscas e uma lista de temas logo abaixo da frase: “O que você precisa?”. É só digitar ou selecionar o tema que tem a ver com sua situação que imediatamente encontrará um ou mais artigos que se encaixam na sua situação. Além disso, também postei diversos casos verídicos. Querido, faça o dever de casa, não busque respostas prontas. Leia tudo o que encontrar e coloque em prática! Infelizmente por um bom tempo não terei condições de continuar com os aconselhamentos, pois estou engajada num projeto social chamado O Coração Vermelho, que conta com um livro de conscientização infantil de minha autoria. Para quem interessar, o livro trabalha de forma leve e didática os temas desigualdade, compaixão e injustiça social, estimulando o senso crítico e a capacidade de autoanalise nos pequenos leitores. Cada exemplar adquirido é um investimento nos trabalhos desenvolvidos pela ONG Missão SAL, liderada pelo Paulo Capelletti (saiba mais em: www.missaosal.org.br).

Pretendo sim continuar com os artigos em 2015, se Deus assim o permitir. Oro para que Ele renove minhas forças nessas férias (sim, estou saindo de férias!). Agradeço de coração cada leitor que durante todo ano acompanhou os textos, participou, comentou, escreveu… Obrigada mesmo! Saiba que este trabalho tem auxiliado muito a minha vida também.

Que Deus esteja a frente de cada um de nossos passos no ano que está por vir. Que Ele seja Senhor de nossas escolhas e decisões, e que o caráter de Cristo continue sendo forjado em nós. Que a nossa fé seja fortalecida Nele e que o Espírito Santo de Deus nos ensine e capacite, para que possamos ser instrumentos do amor de Deus na vida daqueles que sofrem.  Essa é minha oração.

Bom final de ano à todos e até 2015!

Dani Marques

Share.

1 comentário

  1. Olá Daniela, bom dia!
    Gostaria muito que seu blog ainda estivesse ativo para me aconselhar. Mesmo assim, boralá!
    Meu caso não é muito diferente dos outros.
    Durante 26 anos e 11 meses estivemos casados. Éramos o amor, harmonia reciprocidade e felicidade em tudo. Sempre muito solidários, resolvemos ajudar uma colega em comum ” ele a conheceu antes de mim ” que estava passando por situação difícil. Devido esse fato, passamos a frequentar a casa da mãe dela com mais intensidade. Com o correr do tempo, percebi que ela se insinuava, muito sutilmente. Comecei a suspeitar das intenções dela e pedi que diminuíssemos a freqüência lá. Ele nao entendeu porque disso. Eu expliquei o que estava vendo e ele argumentou que era fantasia da minha cabeça. Tivemos uma pequena discussão e ele acatou meu pedido. Com o tempo, percebi que ele estava mais afastado de casa mas o sexo ficou mais intenso na freqüência e qualidade, que já era muito boa. Desconfiei!! Comecei a investigar. Ele NÃO mente. No máximo omite. Então, depois de saber que ele continuava freqüentando a casa, e com mais assiduidade, perguntei e ele confirmou. Não havia me falado para evitar atritos “desnecessários”. Ele passou a não cobrar passagens dela. ” antes ela vinha só nos fim de semana. Agora até 3 vezes na semana. Ele faz transporte alternativo. Bem, resultado da história: eu o chamei pra conversar e ele me disse que estava balançado por ela. Passou mais dois meses e num atrito falei novamente e ele confessou que tá saindo saido com ela. Que estava tendo um caso. Eu disse que fosse embora e q só voltasse quando resolver tudo isso. Ele pediu pra não ir. Disse que amava a gente. Mas que não sabia resolver tudo isso porque estava gostando dela também. Doeu muito. Não voltei atrás e ele foi pra mae dele. Com quatro dias voltou aqui. Eu estava com o rosto desfigurado de tanto chorar. Ele me abraçou, beijou e disse que me ama e sente minha falta. Eu disse que ele poderia voltar naqueles condições. Ele não quis. À partir daí, vem aqui diariamente. Trata-me com carinho, quis fazer amor comigo nas não cedi. Eu pedi pra ele se afastar. Pra eu não sofrer mas ele não quer. Diz que se se afastar daqui, fica cada vez mais difícil para voltar. Só que estou começando a ter raiva dele. Pq ele vem e vai a hora que quer. Como se tudo fosse normal. Amo-o muito. Muito mesmo. Mas não suporto saber que ele continua com outra pessoa. Agora minha amiga, me diz, o que eu faco? Como devo agir?? Praticamente ninguém das nossas famílias sabem desse rompimento nosso. Gostaria muitíssimo de um conselho pois não tenho com quem conversar. Obrigada

Leave A Reply