COMO REACENDER A CHAMA DO AMOR?

3

Falei no post anterior que amor é uma decisão. Pois bem, você está disposto a amar o seu cônjuge e lutar pelo seu casamento? Quero te fazer uma proposta: por mais que já tenha lutado e insistido, tente mais uma vez! Se a palavra divórcio já passou pela sua cabeça, gostaria de lembrar que caso venha a se apaixonar por outra pessoa (ou já esteja apaixonado), esse sentimento não vai durar mais do que dois anos, muitas vezes bem menos do que isso (leia mais sobre este assunto no texto: Salve meu casamento!). Quando a paixão for embora, o que sempre acontece primeiro com um dos indivíduos e não com os dois ao mesmo tempo (as músicas sertanejas que o digam!), você terá que decidir se vai ou não lutar por aquele amor, exatamente o que fez (ou deveria ter feito) no primeiro relacionamento. Gostaria de salientar que segundo pesquisas, 60% dos segundos casamentos terminam em divórcio. É uma porcentagem bem alta não acha?

Se vai ter que lutar diariamente por um provável segundo amor, porque não lutar pelo primeiro? Mesmo que você esteja totalmente desanimado e sem esperanças, quero dizer que existe uma luz no fim do túnel, e por mais distante que ela pareça estar, vale a pena correr atrás. O resultado será surpreendente, você vai ver! É completamente possível voltar a amar e se sentir amado pelo seu cônjuge, seja qual for a situação em que estiverem vivendo. Leia sobre: Será que ele(a) me ama mesmo?

Existe algo chamado “Linguagem do Amor”. Vamos imaginar duas pessoas conversando em línguas diferentes, uma em inglês e outra em japonês. Não vai rolar… Quer dizer, vai rolar uma baita confusão! Um relacionamento entre marido e mulher também funciona assim. Se você não estiver amando o seu esposo na linguagem dele, poderá até plantar bananeira que ele não vai se sentir amado. Outra coisa interessante é que o ser humano também possui um “tanque emocional”, assim como um tanque de combustível. Se ele estiver cheio o carro anda bem, mas se não estiver, o negócio complica. Se o seu cônjuge fala a sua linguagem do amor diariamente, seu tanque emocional estará sempre cheio. Caso não, estará sempre pela metade ou vazio, o que faz com que a pessoa não se sinta amada. Essa é a decisão de amar: falar a linguagem do amor do seu cônjuge diariamente.
Pode ser que seu casamento ainda não esteja por um fio, quem sabe até esteja bom, mas mesmo assim estejaalerta! O que já vi (e li) de casos em que o marido inesperadamente rompe o relacionamento com a esposa porque se apaixonou por outra mulher… Isso tem se tornado tão frequente! A rotina do dia a dia faz com que o casal acione o “botão de automático”. Se você não fala a linguagem do amor do seu marido ou esposa frequentemente e o tanque dele está sempre vazio ou pela metade, corre o risco de encontrar pelo caminho outra pessoa que faça isso, e aí, não demorará muito para a faísca da paixão botar fogo neste novo relacionamento.
Caso isso já tenha acontecido com você ou quem sabe seu cônjuge não mostre interesse algum em salvar o casamento, quero lhe dizer que ainda há esperança. Caso o seu sentimento seja de ódio e dentro do seu coração só exista mágoa e rancor, quero lhe dizer que sim, existe uma solução!
Como demonstrar amor a uma pessoa que só te faz mal? Isso tem algum fundamento? Vou te mostrar que sim:
“Amem aos seus inimigos, façam bem ao que vos odeiam, abençoe os que os amaldiçoam, orem por aqueles que o maltratam. Como vocês querem que os outros lhe façam, façam também a eles.” Lucas 6: 27, 28 e 31
Estas foram palavras faladas por Jesus há muitos anos atrás e que se encaixam perfeitamente neste assunto. Por mais que você atualmente não tenha bons sentimentos pelo seu cônjuge, decida por amá-lo. Durante 6 meses (é apenas uma sugestão) fale a linguagem dele. Mesmo que ele te agrida, ignore ou continue a não falar a sua linguagem, ou seja, não demonstre amor por você. Simplesmente fale a linguagem dele sem pedir nada em troca. Juntamente com isso, ore a Deus incessantemente para que salve e restaure seu relacionamento. Peça a Ele sabedoria e paciência. Fique firme, não desista! Os resultados serão surpreendentes, acredite no que estou falando!
A questão agora é, como falar a linguagem do meu cônjuge? Bom, vou ter que deixar para outro post. Esse já ficou maior do que eu esperava. Nos vemos na próxima sessão, até lá! 😉

Leia a continuação: Ele nunca tem tempo pra mim!

 

Share.

3 Comentários

  1. Olá Dani!

    Até concordo com você sobre o amor e a paixão. O problema é quando a pessoa quer se manter à margem da realidade e quer te levar junto com ela para o inferno.

    Tenho medo de falar com pessoas, de sair sozinho, pois ela desconfia até da minha sombra. No começo do namoro, eu achava um ciúmes normal,
    mas hoje eu tenho terror. Distanciei-me de amigos e de tudo.

    Tenho que mantê-la fora da realidade, pois ela não trabalha, não quer trabalhar e não quer ser dependente financeira, mas também não pode saber dos problemas e das restrições que tenho que administrar, pois senão se sente culpada. E se ela souber, acha que a causa é ela e os ouvidos serão sempre meus.

    Ela não gosta de fazer as coisas que eu faço. Tenta tornar tudo impossível para eu desistir. Não sei se ela tem consciência disto. Só sei que se eu quero fazer algo diferente, como um passeio ou algo do tipo, tenho que escutar horrores. Ela inventa todos os medos e dificuldades.

    Uma vez o avião estava vazio e ela me encheu o saco por eu ter dormido esticado na fileira da frente.

    Já pedi divórcio uma vez, mas ela ignorou e tentou melhorar. Até que melhorou, mas já descobri a estratégia de jogar os erros nas minhas costas.

    Mas, por outro lado, ela quer que eu faça as coisas que ela gosta, tipo, bater perna o dia todo atrás de sapato. Só que eu já cansei disto. Ela não tem e não quer ter amigas, pois todas elas, segundo ela, vão querer minar o casamento e falar mal de homem.

    Estou a beira de pedir divórcio de novo. Por causa desta cegueira da paixão e do amor. Do amor, pois eu acreditei e montei uma casa para nós dois. Mas nada adianta. Ela parece pensar que eu devo agir como posse dela e dever obediência.

    Prefiro me manter anônimo.

    • Obrigada por descrever-me, prezado “anônimo”. Por um instante só passou pela minha cabeça que meu esposo tivesse escrito, mas ao final percebi que não. Ainda assim, agradeço por ter colocado diante de mim um espelho que revela muito do modo como tenho agido com meu esposo: não trabalho fora, não sou independente, gosto da companhia do meu esposo para “bater perna”, não tenho amigas (porque não confio em mulheres, que na maioria das vezes só fazem intrigas e geram competição em tudo), etc. Só me pergunto se é suficiente (ou é o importante) o recurso financeiro que vocês nos oferecem, ou se nos apossamos disso para compensar alguma área da relação que está vazia. Mulheres que não trabalham fora de casa tendem a ser vistas como inúteis, desocupadas e incapazes, e às vezes precisam de compreensão. Sendo assim, creio que homens que se intitulam de empreendedores e árduos provedores, deveriam rever seus valores e conceitos para ajudar suas companheiras nas suas fragilidades, inerentes às mulheres. A guerra dos sexos tem distorcido e deixado míopes as pessoas, que preferem serem enganadas em suas percepções, acreditando que podem tudo e muito mais, esquivando-se de reconhecer suas próprias fragilidades e a qualidade do outro. Não estou me pondo em defesa de sua companheira (nem em minha própria defesa), apenas convidando-o a refletir sobre as suas atitudes diante das necessidades de sua mulher.

  2. Muito difícil, tem sido muito difícil pra mim eu tento disfarçar relevar as coisas mas tem horas em q fica muito difícil não sei o q houve sabe meu marido me procurava todos os dias, tinha dia em q eu estava cansada e não queria, mas tínhamos uma vida sexual muito ativa, ele é mais velho q eu 13 anos quando casamos eu dia 22 e ele 35, nossa lua de mel foi coisa de louco era toda hora, sabe ele foi o meu primeiro e único homem e ele já tinha tido diversas experiências ele me ensinou muita coisa, nos damos super bem , mas eu não sei o que está acontecendo q de um tempo pra cá o seu interesse sexual por mim parou e foi tudo tão derrepente um homem q era tão “safado” na cama de uma hora pra outra pra ele se não tiver sexo não faz mais diferença ele não me procura mais e quando eu o procuro está sempre cansado eu não sei se realmente ele anda tão cansado, se tem uma amante, se está com problemas de virilidade e deve procurar um médico, eu paro pra conversar com ele e ele foge do assunto , acha normal eu já não sei mais o q pensar eu fico tão mal com isso , eu sofro tanto, me sinto rejeitada, indesejada, me sinto um bagaço, uma mulher q não é capaz de despertar o desejo de seu próprio marido , eu fiz tanta coisa por ele por nós abri mão de tanta coisa, de toda uma vida um futuro, abri mão de ter estudado mais para juntar dinheiro para casarmos, abri mão de toda uma juventude de sair com amigos de curtir a vida e de passar por todas aquelas coisas q todos os jovem passam, afinal quando eu começamos a namorar era apenas uma menina tinha apenas 17 anos e ele já tinha 30 eu ainda estava terminando o ensino médio, comecei a cursar o nível superior , mas não terminei por conta desse relacionamento, abri mão de meus sonhos por im amor q sempre achei q valia à pena, sou independente dele financeiramente, pois graças à Deus tive oportunidade de crescimento profissional , hoje se eu me separasse o que eu não quero q aconteça eu viveria muito bem sem ele, aliás eu o ajudo muito, divido as contas, sou mais ambisiosa do que ele e dou muitos empurrões para que ele lute para melhorar de vida, posso dizer se hoje temos nossa casa, nosso carro é tudo por conta minha força e da minha atitude nada na nossa vida é fácil e tivemos que abrir mão de muita coisa para conquistarmos tudo, abrimos mão muitas vezes de sair de viajar, mas tudo isso em prol de um bem maior q depois eu o dizia isso ia passar e poderíamos curtir à vontade, inclusive depois que a pior fase de aperto passou planejei uma viagem para tentar reacender a chama fiz ele tirar uns dias de folga , mas infelizmente não foi da forma em q eu esperava em 4 dias de viajem fizemos sexo apenas uma vez e não foi lá essas coisas parecia q ele estava fazendo por obrigação e não por desejo, para os outros parecemos o casal perfeito , mas só eu sei o que estamos passando, tudo começou quando ele quis muito ter um filho eu enrolei um pouco pois estávamos recem casadas pagando o carro ainda e comprando nossa casa , depois tentei voltar aos estudos, mas infelizmente não consegui consiliar casa casamento, trabalho e faculdade e acabei por trancar na minha segunda tentativa, até q resolvi parar de tomar remédio já que ele queria tanto e já estava com quase quarenta e isso era tão importante pra ele q tive medo disso acabar com o nosso casamento e achei q pudesse estar sendo egoísta pensando só em mim e tentei me por no lugar dele e no fundo eu tb queria muito ser mãe , talvez não naquele momento mas é o sonho de toda mulher e sou uma pessoa de muita fé creio muito em Deus a quem eu sempre peço orientação, mas eu não sei o que houve foi só eu parar de tomar o remédio pra tentar engravidar q o interesse dele por mim sumiu e passamos a ter relações 1 vez a cada 15 dias e nessa história eu demorei muito pra engravidar fiz todos os exames e estava tudo bem eu sei q a demora foi por falta de sexo mesmo afinal a mulher só ovula uma vez no mês então era como jogar na loteria, mas depois de praticamente dois anos tentando eu finalmente consegui engravidar e agora estou grávida de 3 meses e se antes a minha vida sexual já não estava tão agitada agora então. ..Desde de q descobri q estava grávida q nunca mais rolou nada um mês e meio sem sexo houve apenas uma tentativa frustrada onde começamos, mas não terminamos o ato e só rolou esse início pq ele tinha bebido e ficou um pouco empolgado, mas no meio do caminho deu ruim quando eu percebi q só eu estava envolvida ele, me desanimei parei e ele nem fez questão de continuar , virou para o lado e dormiu eu danei a chorar madrugada a fora e a orar tb a pedir à Deus q não deixasse o meu casamento se destruir q ele nos ajudasse a superar essa crise e que renovasse nosso casamento,estou muito feliz q vou ser mamãe de verdade, sempre sonhei com um lar e uma família feliz , mas fico pensando será q ainda tem jeito, ele diz q ainda me ama muito, q não tem amante , mas tb não aceita se tratar ela diz q apenas anda cansado, mas q cansaço é esse q não passa nunca, estou muito jovem tenho apenas 28 anos e estou a flor da pele, ele tb é muito jovem ainda pra já está asdim , ele tem apenas 41 e eu ainda o amo e o desejo demais, sinceramente não sei mais o q fazer, claro q nesse momento o meu filho está me preocupando mais do que o sexo, mas e depois? Quero muito restaurar meu casamento , mas sinceramente não sei mais o que fazer , já tentei de tudo, surpreendê-lo, colocar lingerie, fazer algo diferente , mas cada vez q tento mas eu me decepiono e me magôo mais.Tenho muita fé e sei que isso vai passar quero muito lutar pelo meu casamento, mas infelizmente as vezes me sinto de mãos atadas não sei mais o q fazer, p meu foco agora é só o meu filho só isso q nesto momento me traz um pouco de alegria e uma gota de esperança!

Leave A Reply